domingo, 2 de abril de 2017

VIAGEM À SERRA DA IBIAPIABA/CE (20/04 a 25/04/2016) Parte III - A VOLTA




Olá prezados leitores. Finalmente venho aqui concluir nossa jornada pelo sertão nordestino.  
  
Como procuramos fazer, sempre que possível, um caminho diferente na ida e na volta de nossas viagens, eu e Pedro decidimos voltar pelo interior, atravessando o sertão do CE, um pedacinho do RN, o sertão/agreste/mata da PB e o litoral de João Pessoa/PB a Recife/PE. Fizemos esse trajeto em 02 dias: 24/04 e 25/04/2016. Infelizmente, por culpa deste que lhes escreve, foram escassos os registros fotográficos.

Como já foi dito, iniciamos o retorno para nossas casas no dia 24/04/2016. Saímos de Viçosa do Ceará/CE além do horário programado, às 08:35 h, efetuando apenas uma pequena parada em Tianguá/CE, para reabastecimento das motos. Seguimos praticamente sem paradas (exceto aquelas para solicitação de informações/confirmação de rota), percorrendo a BR 222 até a cidade de Forquilha/CE, onde pegamos a CE 362 e depois a CE 257, até Canindé/CE. Chegamos às 11:54 h, percorrendo 282 km nesta primeira perna da viagem. Paramos o tempo necessário para o reabastecimento das motos e dos pilotos.



Partimos de Canindé/CE às 12:35 h. Nossa próxima parada prevista era a cidade de Banabuiu/CE. Seguimos desta feita, inicialmente pela BR 020, pegando depois a CE 456 até Quixadá/CE. De lá seguimos pela BR 122 até Banabuiu/CE, onde chegamos às 14:37 h, percorrendo 165 km nesta segunda etapa. Novamente efetuamos uma parada para reabastecimento de todos, motos e pilotos.


Partimos de Banabuiu/CE às 15:00 h, para concluir o trecho final previsto para o 1º dia de nossa  volta, tendo como destino final Pau dos Ferros/RN. Até então, não teci nenhum comentário acerca das estradas que percorremos. Apesar de rodarmos  em estradas interioranas, boa parte delas estaduais, elas estavam num estado de regular a bom. A exceção ficou justamente para a parte final deste último trecho da viagem. Continuamos pela BR 122, pegando a BR 226 logo depois de Solonópole/CE, seguindo por ela até Pau dos Ferros/RN. Essa BR compartilha um trecho com  BR 116, a partir de Jaguaribe/CE, retomando seu curso próprio alguns Kms adiante, em direção ao RN. Nesse trecho a estrada estava em condições precárias, e boa parte do trecho era em terreno de serra, com muitas curvas e buracos. Para completar, acabamos passando por São Miguel/RN, para depois seguirmos para Pau dos Ferros/RN. Isso alongou nosso trajeto, pois havia traçado o roteiro seguindo de Pereiro/CE para Ererê/CE, e de lá para Pau dos Ferros/RN. Embora isso tenha nos custado alguns kms a mais, acabou sendo positivo, pois somente depois fiquei sabendo que o roteiro planejado antes, tinha o trecho final (Ererê/CE a Pau dos Ferros/RN) em estrada não asfaltada. Chegamos em pau dos Ferros/RN por volta das 18:00 h, já escurecendo, percorrendo 230 km. Percebi que estava com o farol baixo de minha moto queimado. Conseguimos pouso no excelente Hertz Center Hotel, e após um bom jantar, tivemos uma noite de sono restauradora.

Percorremos ao todo 677 kms neste primeiro dia deste retorno.

Na manhã seguinte, 25/04/2016, partimos de Pau dos Ferros/RN, logo após nosso café da manhã, às 08:20 h. Por sugestão de Pedro, alterei a parte inicial de nesse percurso nesse dia. Ele verificou que o trajeto até Patos/PB seria menor se entrássemos logo na PB, ao invés de continuarmos pelo RN até Caicó/RN, chegando á BR 230 pela cidade de Santa Luzia/PB. O fato é que acabamos nos perdendo, pois rodamos por rodovias estaduais do RN e PB, com  sinalização precária, e calculo que tenhamos rodado uns 40 km a mais. Resumindo, acabamos rodando quase a mesma coisa que o caminho mais longo, e já conhecido por mim...Mas afinal alcançamos a BR 230, pouco antes da cidade de Pombal/PB. Continuamos até Patos/PB, objetivo de nosso primeiro trecho do dia. Chegamos às 11:19 h, percorrendo 223 km. Efetuamos os procedimentos rotineiros em cada parada (abastecimento, banheiros, etc).



Partimos às 11:53 h, continuando pela excelente BR 230 (padrão corriqueiro na maioria das estradas paraibanas), com próxima parada prevista em Campina Grande/PB. Chegamos às 13:42, percorrendo 172 km neste trecho.

Fizemos um stop super rápido, e às 14:09 h partimos para o trecho final da viagem, com destino a João Pessoa/PB para Pedro e Recife/PE para mim. Fizemos nossas despedidas lá mesmo no posto em Campina Grande/PB, pois seguiríamos direto até nossas casas. Seguimos juntos por 142 km, quando nos separamos, já em João Pessoa/PB, na BR 101. Continuei pela BR 101 até minha casa, onde cheguei ás 17:10 h, percorrendo 255 km neste último trecho.

Percurso final deste segundo (e último) dia da viagem de volta, até Recife/PE = 650 kms.

Resumo final da viagem: 06 dias de duração (02 dias de viagem de ida, 02 dias de estadia e 02 dias da viagem de volta) e 2.522 kms percorridos. Segue abaixo o link para o acesso ao álbum completo da viagem e o depoimento de Pedro Henrique, sobre a viagem.

Concluímos assim mais uma magnífica viagem, com a graça de voltarmos felizes e saudáveis para nossas famílias. Que maravilha poder viajar de moto! Se você experimentar, não vai largar. 




domingo, 5 de fevereiro de 2017

VIAGEM À SERRA DA IBIAPIABA/CE (20/04 a 25/04/2016) Parte II - A ESTADIA





Ficamos muito bem acomodados na bela casa dos pais de Pedro Henrique. Como eles não estavam por lá, tínhamos a casa toda à nossa disposição.

Após dois dias de estrada, nosso planejamento era ficarmos 02 dias na região, explorando os atrativos turísticos e visitando alguns parentes. Tanto Pedro Henrique como eu temos parentes por lá. Como teríamos 02 dias, o primeiro dia seria destinado aos passeios pelos atrativos turísticos e o outro para a visita aos parentes.

Ao acordarmos na manhã do dia seguinte, 22/04/2016, fomos bridados com um fenômeno climático comum na região: um nevoeiro muito espesso, daqueles que os velhos marujos dizem que podem ser cortados à faca. A visibilidade não ia além de poucos metros e a temperatura também havia baixado bastante. Um certo ar "europeu" no interior do Ceará.


Como o dia foi avançando hora a hora, e as condições climáticas não se alteraram, nossos planos de passeios turísticos foram por água abaixo. Deixamos as motos na garagem e passeamos a pé pela cidade.


Aproveitamos o passeio e tomamos o café da manhã numa padaria de primeiro nível, que não fica nada a dever às que existem nas grandes capitais do país, a Pão da Vida. O cardápio variado, o bom atendimento e o sabor da comida nos cativaram. Voltamos mais tarde, com o clima ainda fechado, para almoçar nesse mesmo estabelecimento.

No fim da tarde, Márcio, primo de Pedro Henrique que já havia nos recepcionado no dia anterior, passou de carro para no pegar, e dar uma volta maior pela cidade. Entre os locais visitados, paramos na Casa dos Licores. É um local muito visitado, pela variedade de licores que a família produz. Eu a havia visitado 20 anos antes, quando o patriarca da família ainda estava vivo. Os negócios estão sendo tocados pelas filhas dele, uma das quais nos recebeu muito hospitaleira. Após algumas provas nos diversos tipos de licores, acabei comprando 03 garrafas para levar para casa.


Terminamos a noite na Padaria e Confeitaria Pão da Vida, jantando, e logo após assistindo um belíssimo show de música e fonte luminosa, na praça logo em frente. Um belo espetáculo. Merece os parabéns a prefeitura municipal, pelo zelo e cuidado com turismo na cidade.


No dia seguinte, 23/04/2016,  o tempo abriu novamente. Podíamos cumprir o planejado para o 2º dia, visitar nossos parentes. Após o café da manhã, seguimos cada um para um lado. Pedro Henrique foi para um povoado próximo a Viçosa do Ceará/CE e eu segui em direção a Ubajara/CE, cidade da famosa gruta e seu teleférico, mas meu destino era o sítio Moitinga, lugar de moradia de meu tio Vicente e sua família.

A Serra da Ibiapaba possui 05 municípios, todos próximos um dos outros. Viçosa do Ceará/CE fica ao norte da BR 222 e todos os demais ficam ao sul da referida BR (Tianguá, Ubajara, Ibiapina e São Benedito).

Munido de instruções que me foram repassadas por minha prima Vitória (que eu nem conhecia pessoalmente ainda), segui até Ubajara/CE. Lá contratei um moto-taxista, para levar-me até o sítio Moitinga. Graças a ele cheguei à casa do meu tio. Sozinho eu não conseguiria. Passei o dia com meus parentes, com muita prosa e almocei com eles. Meu tio sempre foi uma pessoa de boa conversa, de muitas históricas para contar. Voltei à Viçosa do Ceará/CE à tarde.


Mais tarde tivemos uma jantar de despedida da cidade, e fomos dormir cedo. No dia seguinte iniciaríamos 02 dias de estrada pela frente, em caminho diferente do da nossa ida, atravessando o interior cearense, potiguar e paraibano.

domingo, 4 de dezembro de 2016

VIAGEM À SERRA DA IBIAPIABA/CE (20/04 a 25/04/2016) Parte I - VIAGEM DE IDA



O marasmo dominou nosso moto grupo, meus leitores. Vocês perceberam pela diminuição na frequência de atualização de nosso blog. Depois de nossa grande viagem pela América do Sul, nosso grupo se acomodou. Mas nos meses deste segundo semestre de 2016, novos ventos sopraram. Troquei de moto (assim como muitos dos nossos integrantes), ampliei meus contatos, conhecendo outros motociclistas, e novas oportunidades de viagens surgiram. Prevejo muitas viagens no ano de 2017. Até lá, retomarei minha missão de documentar e mostrar os lugares que visitamos. Retomarei os trabalhos com o relato da única viagem que efetivamente fizemos no 1º semestre de 2016. Vou mostrá-la em 03 posts, para que a leitura não fique cansativa. Neste post inicial relatarei a viagem de ida, ocorrida nos dias 20 e 21/04/2016.

Eu (Marcos) e Pedro Henrique fomos à Serra da Ibiapaba, no Ceará. Para quem não conhece, é uma chapada que faz a divisa entre os estados do CE/PI, que possui um micro clima peculiar, devido à sua altitude, contrastando com o clima seco do sertão que se esparrama aos seus pés.

O curioso é que essa viagem quase não ocorreu. Muito havia sido planejado, mas na hora do vamos ver, os candidatos a viajante haviam desistido, ao longo dos meses iniciais de 2016. Eu pretendia reservar 10 dias de minhas férias, para circular pela região e suas vizinhanças. De lá o Delta do Parnaíba e os Lençóis Maranhenses ficam relativamente próximos. Com a falência do projeto, desisti.

Um belo dia, o qual não me recordo a data especificamente, Pedro Henrique me ligou, convidando-me para fazer a viagem, em escala menor, indo apenas até a referida serra. Não tínhamos férias marcadas, mas com alguns feriados e folgas negociadas com nossos chefes, conseguimos ao todo, 06 dias: 02 dias de viagem para chegar em Viçosa do Ceará/CE (que fica na Serra da Ibiapaba), 02 dias de permanência e passeios pela região e 02 dias de viagem para voltarmos. Para mim foi o mesmo que juntar a fome com a vontade de comer!

Eu e Pedro Henrique combinamos que a ida seria pelas estradas que são mais próximas ao litoral (BRs 101, 304 e 222) e a volta pelo interior, para conhecermos novos caminhos.

No dia 20/04/2016, parti de Recife/PE, em viagem solo até João Pessoa/PB, pela BR 101, às 06:35 h. Cheguei ao ponto de encontro (posto Shell, 1º na estrada que circunda a capital paraibana) às 07:54 h, percorrendo 114 km neste trecho inicial. Pedro ainda não havia chegado e fiquei esperando-o por algum tempo. Logo que ele chegou, reiniciamos nossa viagem. Partimos do referido posto, às 08:20 h, com parada projetada para os arredores de Natal/RN.

Continuamos nosso trajeto pela BR 101, sem ocorrências, exceto uma chuva ocasional já no RN. Chegando na entrada para Natal/RN, viramos em direção a Mossoró/RN, agora pela BR 304, rodando alguns Kms por ela, parando num posto BR às margens da mesma, no município de Macaíba/RN. Chegamos às 10:04 h, percorrendo 170 km neste trecho. Reabastecemos as motos, esticamos as pernas e arriscamos um pastel como rápido lanche. Saímos de lá às 10:40 h, reiniciando nossa viagem, com parada prevista em Açu/RN.


Continuamos pela BR 104, desta feita em pista simples, sem nenhum incidente. Paramos num posto BR à beira da estrada em Açu/RN às 12:43 h, percorrendo redondos 200 km neste trecho. Partimos de lá às 13:30 h, para o trecho final programado para o dia, até Canoa Quebrada, em Aracati/CE, belo local de nosso pernoite.

Continuamos ainda pela BR 304, sem incidentes até Mossoró/RN. No trecho entre Mossoró/RN e Canoa Quebrada, senti aos poucos a moto oscilar, e de imediato reduzi a velocidade e parei no acostamento. Verifiquei que o pneu traseiro havia baixado. Pedro vinha logo atrás e parou para me auxiliar. Inicialmente utilizei uma daquelas latas de “conserto de pneu”, de marca genérica (xing ling), que não funcionou. Por sorte Pedro tenha uma outra, de grife (Motul), que funcionou, injetando a espuma no pneu e dando-lhe certa calibragem. Resolvemos seguir devagar, enquanto fosse possível, tentando encontrar um borracheiro. Rodamos alguns quilômetros e logo a moto voltou a ficar instável. Parei no acostamento, já pensando na trabalheira em ter de desmontar a roda traseira, em pleno fim de tarde. Por sorte Pedro me indicou que existia um borracheiro a poucos metros de distância, que eu não havia percebido. Seguimos até lá e fomos muito bem atendidos. A câmara de ar ainda era a original, com mais de 34.000 km rodados e provavelmente, rasgou-se por desgaste natural. Não havia prego no pneu. Como eu havia trazido uma câmara ar nova, de reserva, o problema foi resolvido. Mesmo assim mandei consertar a antiga, para o caso de alguma necessidade futura. Com tudo isso, somente chegamos à nossa pousada em Canoa Quebrada, por volta das 17:00 h, depois de perambular em várias lojas e revendas de moto de Aracati/CE, em busca de latas de reparo de pneu, não obtendo sucesso, tendo percorrido 180 km neste trecho final.

Uma vez alojados, meu disposto parceiro de viagem saiu para ver o por de sol na praia, enquanto eu preferi relaxar, após algumas loiras geladas e um bom banho. Percorremos 664 km neste primeiro dia, festejado com um jantar numa churrascaria (argentina), à beira da praia.


Na manhã do dia seguinte (21/04/2016), após um bom café da manhã, partimos de Canoa Quebrada, parando num posto para reabastecimento. Lá encontramos um casal, cada qual com seu triciclo, que também estavam percorrendo o NE brasileiro. Saímos do posto às 09:10 h, retomando nossa viagem. Optamos por seguir pela BR 304 e depois pela BR 116, em detrimento da rodovia estadual CE 040, mesmo com um percurso aumentado em uns 20 km, em função do feriadão e da grande quantidade de radares existentes nessa rodovia. Seguimos sem incidentes pelas BR 304 e depois pela BR 116. Pegamos o anel viário que contorna Fortaleza/CE, com tráfego muito intenso, parando num posto Shell, já em seu trecho final, próximo à BR 222. Chegamos às 11:10 h, percorrendo 182 km neste trecho. Fizemos uma breve parada, saindo às 11:33 h.

Seguimos pela BR 222 até a cidade de Irauçuba/CE, parando num posto à beira da estrada, às 13:10 h, percorrendo 149 km. Chamou a atenção neste trecho a passagem por Itapagé/CE, região montanhosa e muito bonita de se percorrer. Reiniciamos nossa viagem às 13:42 h, com destino final em Viçosa do Ceará/CE.

Continuamos pela BR 222, contornando Sobral/CE, efetuando a subida da Serra da Ibiapaba, com trânsito lento por conta de ônibus e caminhões, deixando esta estrada na altura de Tianguá/CE, onde entramos na CE 187, rodovia que dá acesso à cidade de Viçosa do Ceará/CE. Chegamos às 16:07 h, tendo percorrido 200 km neste trecho final.


Percorremos ao todo, neste segundo dia, 531 km. Viçosa do Ceará/CE é uma bela cidade serrana, cujos encantos detalharei melhor no próximo post. Fomos muito bem recepcionados por Márcio, primo de Pedro, que nos levou num bar/restaurante muito bom, para um merecido relax dos viajantes.


No próximo post continua!


domingo, 26 de junho de 2016

VIAGEM A MONTEIRO/PB (14/11 A 15/11/2015)



Antes de mais nada devo dar algumas explicações aos meus fiéis leitores. Fiz um hiato muito grande desde a publicação de meu último post.

Depois de nossa fenomenal viagem pela nossa América do Sul, a qual tive o empenho em relatar da forma mais fiel possível nos posts deste blog, relaxei com a missão de efetuar o registro das viagens de nosso moto clube. É bem verdade que nos encontramos num período de entressafra de nossas viagens. Desde a grande viagem, foram poucas que empreendemos. Na maioria das vezes fizemos curtos passeios (vai-e-volta), para cidades próximas a Recife/PE.

Mas parafraseando aquela música, “toda forma de viagem vale a pena...”, resolvi retomar o relato de nossas viagens.

Inicio hoje com a viagem que fizemos a um dos grandes encontros motociclísticos de nossa região: o 13º EMOCAP, ocorrido no período de 13/11 a 15/11/2015, na cidade de Monteiro/PB.

Fomos nessa viagem, eu (Marcos), Antônio, Hélio e sua esposa Irece.

Nossa partida ocorreu no dia 14/11/2015, um sábado. Eu e Antônio combinamos de nos encontrar no posto Ipiranga, na BR 232, logo na saída de Recife/PE para o interior. Hélio e Irece nos encontrariam mais adiante, no posto Total, na saída da cidade de Pombos/PB.

Cheguei ao ponto de encontro combinado e Antônio já se encontrava por lá. Saímos às 06:41h, em direção a nosso outro ponto de encontro. Chegamos ao posto Total em Pombos/PB às 07:13 h. Não registrei a quilometragem percorrida neste trecho inicial, mas conforme pesquisa no Google Maps, são aproximadamente 50 km. Como Hélio e Irece ainda não haviam chegado, tivemos de esperar um pouco por eles. Logo o casal amigo chegou, de forma que reiniciamos a viagem às 07:32 h, com destino à Churrascaria Nossa Sra. de Lourdes, em São caetano/PE, local programado para nosso café da manhã. Chegamos ao nosso objetivo às 08:26 h. Percorremos 88 km neste trecho.

Após um lauto café da manhã, um daqueles tipicamente nordestino, que valem por um almoço, reiniciamos nossa viagem. Saímos em horário não registrado por mim, seguindo ainda pela BR 232, em direção à cidade de Arcoverde/PE. Chegamos ao nosso destino, parando no posto/hotel Cruzeiro em Arcoverde/PE às 11:00 h, percorrendo 111 km neste trecho. Fizemos uma breve parada para re-hidratação dos pilotos e reabastecimento das motos. Encontramos um colega motociclista, que também seguiria até Monteiro/PB.



Partimos em horário novamente não registrado por mim (já fui mais metódico, confesso), com destino final em Monteiro/PB. Nosso amigo que conhecemos na parada em Arcoverde/PE nos acompanhou até a cidade de Sertânia/PE, indicando-nos a saída para a cidade de Monteiro/PB. Chegando ao nosso destino, restou ainda alguma perambulação pela cidade, até acharmos a Pousada Seu Tião, local de nossa hospedagem. Chegamos à sua porta à 12:41 h, percorrendo 95 km nesse trecho final.
Como a programação do EMOCAP estaria concentrada no horário noturno, ficamos relaxando alí pela pousada, tomando umas merecidas cervejas geladas. No resto da tarde, um bom cochilo, para a maioria de nós, eu incluído.



À noite, na hora de seguirmos para o centro da cidade, resolvemos deixar as motos na pousada e irmos a pé. Assim teríamos total liberdade para uma eventual degustação etílica, embora a possibilidade de fiscalização fosse próxima a zero. Não era uma distância significativa, mas o proprietário da pousada gentilmente se ofereceu para nos levar e para nos buscar. Coisas da hospitalidade interiorana.

Chegamos cedo e vimos que pouco a pouco a movimentação aumentava, com o passar das horas. Presenciamos a partida de um passeio motociclístico noturno, que seria finalizado com um jantar patrocinado pela prefeitura local. Como estávamos como pedestres, perdemos essa boquinha livre, que pelo que soubemos depois, foi muito boa. Jantamos num restaurante lá pelo centro mesmo, ficamos por ali mais algum tempo, e voltamos ainda relativamente cedo para a pousada, como bons meninos que somos, conduzidos pelo gentil proprietário da pousada. Uma boa noite de sono era tudo que queríamos, para um bom retorno aos nossos lares, no dia seguinte.

Nosso grupo acordou cedo, e enquanto esperávamos a arrumação para o café da manhã, conversamos com alguns de nossos irmãos motociclistas, que também se hospedaram por lá e seguiriam viagem logo após o café, assim como nós.



Como no percurso da vinda a Monteiro/PE, fizemos o trajeto via BR 232 e Sertânia/PE, resolvemos voltar por outro caminho, seguindo por uma estrada recém asfaltada, que liga a cidade de Sumé/PB a Jataúba/PE, de lá passando por Santa Cruz do Capibaribe/PE, pegando a BR 104, em direção até Caruaru/PE, onde pegamos novamente nossa velha conhecida, a BR 232.

Saímos da pousada à 07:51 h, seguindo em direção a Sumé/PB. Logo na chegada a esta cidade, pegamos uma bifurcação à direita, seguindo em direção à cidade do Congo/PB e Jataúba/PE. A estrada já era minha conhecida, e alertei os demais acerca dos “tobogãs” existentes no trecho de Sumé/PB ao Congo/PB. Esses “tobogãs” são um trecho com uma sequência de subidas e descidas, que causam a sensação de que a moto vai saltar, ao final de cada subida e início de uma nova descida. É conveniente não abusar da velocidade neste trecho. Paramos no posto Seta em Jataúba/PE às 08:54 h, percorrendo 99 km neste trecho.

Demoramos muito pouco, de forma que às 09:00 h partimos para Santa Cruz do Capibaribe/PE. Foi um trecho curto de 39 km, e paramos num posto muito bem estruturado, às 09:31 h. Fizemos mais uma rápida parada, e saímos às 09:48 h, com previsão de parada em Pombos/PB, ponto de despedida da casal Hélio/Irece. Seguimos sem problemas e chegamos no posto BR às 11:26 h, percorrendo 133 km neste trecho. Hélio encontrou alguns amigos seus, também motociclistas. Saimos de lá por volta das 11:50 h.


Hélio logo nos deixou, pegando a entrada para Vitória de Santo Antão/PE. Seguimos apenas eu e Antônio, em direção a Recife/PE, passando defronte ao posto Ipiranga (marco zero de nossa viagem, no dia anterior) às 12:17 h, percorrendo 47 km neste trecho final.

Finalizamos nossa primeira viagem pós-Ruta de Los Andes, percorrendo ao todo 662 km. Esta quilometragem refere-se ao ponto de partida no posto Ipiranga em Sto. Aleixo, na BR 232, sendo computada para os devidos registros, para mim (Marcos) e Antônio. Hélio (e claro, sua acompanhante Irece) computaram 565 km em seu registro.

Segue abaixo link para o álbum da viagem, com as (poucas) fotos que tiramos.





domingo, 13 de dezembro de 2015

EXPEDICION RUTA DE LOS ANDES 2015 - Parte XX - VOLTANDO PARA CASA (Dias 28, 29, 30, 31 e 32)



DIA 28 - FOZ DE IGUAÇU/PR a MARÍLIA/SP (30/04/2015)


Partida de Foz do Iguaçu/PR
Chegamos finalmente à parte de nossa viagem. Embora faltassem ainda muitos km para nossas  casas, já estávamos em ritmo de despedida, ansiosos por chegar aos nossos lares. Teríamos pela frente, 05 dias de muita estrada, parando apenas para pernoitar. Neste trecho, talvez pelo sentimento ambíguo, de alegria por retornar à nossa cidade e de certa tristeza pelo fim de nossa aventura, escassearam os registros fotográficos. Vou tentar resumir os acontecimentos destes dias.

Partimos de nosso hotel em Foz do Iguaçu/PR às 07:48 h. Tivemos a companhia de meu cunhado Fábio por cerca de uns 100 km, quando ele separou-se de nós, tomando o caminho para São Paulo/SP. Fizemos nossa primeira parada num posto em Corbélia/PR, após rodarmos 210 km, às 10:45 km. Parada rápida para reabastecimento e às 11:00 h partimos para nossa próxima parada, Maringá/PR. Chegamos em Maringá/PR às 13:15 h, percorrendo 215 km. Fizemos uma parada um pouco mais demorada e partimos para nossa próxima etapa às 13:43 h. Chegamos ao primeiro posto após Sertanópolis/PR (Chapadão do Tigre) às 15:47 h, percorrendo 131 km. Não registrei nosso horário de partida e nem nosso horário de chegada ao destino final previsto para esse dia, Marília/SP, mas chegamos no final tarde. Foram 162 km neste trecho final, até o hotel.

Chegamos separados, primeiramente eu, Helenildo e Rodolfo. Esperamos a chegado dos outros dois num posto de combustível, próximo à estrada. Recebemos uma ligação de Lauro, informando que Hélio resolvera esticar por conta própria até Ribeirão Preto/SP, para dormir na casa de uma das filhas dele. Ensinamos o caminho de onde estávamos para Lauro e quando ele chegou, fomos procurar um hotel para pernoitar. Após rodarmos um pouco, encontramos um excelente hotel, que nos propiciou uma boa noite de sono. 

Nesse trecho nos separamos de nosso companheiro Eurípedes. Ele resolveu seguir outro caminho, por necessidade própria. Somente alguns dias depois tive notícias dele, por telefone. Pena que não pudemos nos despedir adequadamente dele.

QUILOMETRAGEM DO DIA:      718 KM.
QUILOMETRAGEM TOTAL:  11.547 KM.

DIA 29 - MARÍLIA/SP a PATROCÍNIO/MG (01/05/2015)


Partimos cedo do hotel, às 07:05 h. Paramos num posto na saída da cidade e seguimos para Ribeirão Preto/SP, onde nos reencontraríamos com Hélio. Nesse trecho tivemos problemas com a autonomia das motos. Existem poucos postos de combustíveis neste roteiro e terminamos seguindo até Ribeirão Preto/SP, sem reabastecimento. Acabei me separando dos outros três, mas por uma dessas coincidências incríveis, no reencontramos no primeiro posto, logo na entrada de Ribeirão Preto/SP. Foram 285 km e chegamos às 10:15 h. Neste trecho tenho a destacar a travessia do muito largo Rio Tietê, numa extensa ponte. 

O largo Rio Tietê, mais adiante.
Tivemos alguma dificuldade em contactar Hélio por telefone, e depois de algum tempo, resolvemos seguir sem ele. Quando já estávamos saindo, meu celular tocou e era ele informando que nos esperava na saída da cidade, junto com sua família. Nos encontramos com ele e partimos de Ribeirão Preto/SP às 10:58 h. Paramos uns 221 km adiante, após passarmos por Uberaba/MG, num posto de combustível, onde chegamos às 13:31 h. Partimos deste posto às 13:53 h.

Chegamos em Patrocínio/MG às 15:35 h, percorrendo 152 km neste trecho final. Encontramos um hotel novinho em folha (ROTA DO SOL HOTEL), ao lado do posto que paramos para abastecer.


QUILOMETRAGEM DO DIA:      658 KM.
QUILOMETRAGEM TOTAL:  12.205 KM.

DIA 30 - PATROCÍNIO/MG a SALINAS/MG (02/05/2015)

Partimos do hotel às 07:15 h. Rodamos pela BR 365 e paramos num posto de combustível, 155 km após Patrocínio/MG. Chegamos às 08:51 h. Fizemos uma parada rápida e partimos  às 09:17 h, com destino à Pirapora/MG.

Paramos num posto Shell, aproximadamente uns 3 km antes de Pirapora/MG. Chegamos às 10:44 h, percorrendo 161 km neste trecho. Mais uma parada rápida, e às 11:15 h partimos com destino a Montes Claros/MG.

Chegamos num posto Ipiranga às 12:50 h, percorrendo 170 km neste trecho. Fizemos mais uma parada rápida e partimos, em horário não registrado por mim, com destino a Salinas/MG.

Este trecho final foi muito cansativo, pois o número de caminhões era muito grande, e como o trecho envolvia muitos aclives/declives, as ultrapassagens precisavam ser muito bem pensadas. Acabei ficando para trás, rodando uns 80 a 100 km sem avistar meus companheiros, que foram mais ágeis (ou quem sabe, ariscos) nessas ultrapassagens. Somente alguns km antes de Salinas/MG ele pararam à beira da estrada para me esperar. Seguimos uma dica que no deram e seguimos além de Salinas/MG uns 12 km, chegando ao HOTEL TABORIU, onde pernoitamos. Chegamos às 16:36 h, percorrendo 240 km neste trecho final.


Hotel Tamboriu, Salinas/MG

QUILOMETRAGEM DO DIA:      726 KM.
QUILOMETRAGEM TOTAL:  12.931 KM.

DIA 31 - SALINAS/MG a FEIRA DE SANTANA/BA (03/05/2015)

Partimos do hotel às 06:54 h, seguindo pela BR 251, até o entroncamento com a BR 116, onde pegamos esta última, no sentido Norte, runo à Bahia. Paramos num posto Shell, uns 6 km antes da cidade de Cândido Sales/BA, a primeira logo após a divisa MG/BA. Um posto muito bem estruturado, como seria de praxe, doravante, na BR 116. Chegamos às 08:41 h, percorrendo 163 km. Partimos de lá às 09:10 h.

Neste nosso penúltimo dia de viagem destaco 02 eventos: 1) a cordialidade de nosso irmãos camioneiros, que na maioria das vezes iam para o acostamento para facilitar nossas ultrapassagens. Isso já havia acontecido desde o dia anterior, ainda em MG; e 2) nossos companheiros Hélio e Rodolfo resolveram fazer uma viagem à parte, deixando a mim, Helenildo e Lauro para trás.

Seguimos pela BR 116, passando por Vitória da Conquista/BA e parando num complexo rodoviário (Posto São Jorge) alguns km depois desta cidade. Havia uma mega estrutura para os viajantes, inclusive com quiosque do banco 24 horas e barbearia. Chegamos às 11:00 h, percorrendo 112 km neste trecho. Parada rápida, e partimos às 11:26 h.

Continuamos pela BR 116. Paramos num posto de combustível alguns quilômetros depois de Jequié/BA, na entrada para Lafaiete Coutinho/BA às 13:24 h, percorrendo 151 km. Partimos em horário não registrado por mim, com destino a Feira de Santana/BA, ponto final programado para este dia.

Chegamos em Feira de Santana/BA no final da tarde, em horário também não registrado por mim. Nossos colegas apressados (Hélio e Rodolfo) nos ligaram enquanto estávamos verificando um hotel logo na entrada da cidade, o qual estava em visível estado de abandono. Eles nos deram a dica da POUSADA OÁSIS, um pouco mais adiante e também seguimos para lá. Foram 232 km percorridos neste trecho final.


QUILOMETRAGEM DO DIA:      658 KM.
QUILOMETRAGEM TOTAL:  13.589 KM.

DIA 32 - FEIRA DE SANTANA/BA a RECIFE/PE (04/05/2015)

Saímos da pousada às 06:52 h. Seguimos ainda pela BR 116, enfrentando um tráfego intenso até a cidade de Santa Bárbara/BA. Logo após o tráfego foi aliviando aos poucos. Na altura da cidade de Tucano/BA, pegamos a BR 410, até a cidade de Ribeira do Pombal/BA, onde chegamos às 09:31 h, percorrendo 195 km. Partimos às 10:02 h, com destino a Paulo Afonso/BA.

Seguimos agora pela BR 110 até Paulo Afonso/BA, atravessamos a fronteira BA/AL e pegamos a BR 423, parando no primeiro posto logo após a divisa, onde chegamos às 11:55 h, percorrendo 186 km. Partimos às 12:28 h, tendo como próximo destino Garanhuns/PE.

Continuamos pela BR 423, chegando em Garanhuns/PE às 14:31 h, percorrendo 212 km neste trecho. Partimos às 15:04 h, para nosso trecho final, até Recife/PE.

Seguimos pela BR 423 até São Caetano/PE, pegando nossa velha conhecida BR 232 a partir daí. Paramos em frente ao posto Ipiranga, em Santo Aleixo, marco final estipulado para nossa jornada, onde chegamos às 17:23 h, percorrendo 216 km neste trecho final. Eu, Helenildo e Lauro fizemos questão de descer de nossas motos e registrar o evento. Infelizmente, cinco companheiros partiram e apenas três concluíram juntos a viagem. Não sei se é idealismo de minha parte, mas para mim, todos deveriam ter concluído a viagem juntos, independente da pressa de chegar em casa.


Comemorando o final da jornada
Concluo assim a história dessa realização de um sonho juvenil, compartilhado com meus 04 companheiros. Já temos muito o que contar aos amigos e parentes. Mas não vou negar, que ficou ainda em mim, e creio que posso falar em nome dos demais, um gostinho de quero mais...

Segue abaixo o link com o vídeo destes últimos 05 dias da viagem.



QUILOMETRAGEM DO DIA:      809 KM.
QUILOMETRAGEM TOTAL:  14.398 KM.

domingo, 8 de novembro de 2015

EXPEDICION RUTA DE LOS ANDES 2015 - Parte XIX - TURISMO EM FOZ DE IGUAÇU/PR (Dia 27)



DIA 27 - CIUDAD DEL ESTE/Paraguai e FOZ DE IGUAÇU/PR (29/04/2015)

Dia de turismo, nada de motos. Conforme programado, em Foz do Iguaçu/PR teríamos nosso último dia livre, para passeios turísticos. Depois seriam dias de estrada apenas, com paradas apenas para dormir, até Recife/PE.

Já que só tínhamos um dia, resolvemos nos concentrar no mais comum: ida à zona franca de Ciudad del Este/Paraguai pela manhã e visita às Cataratas do Iguaçu à tarde. Hélio acertou um pacote com o mesmo taxista que os levou ao passeio em Itaipu. Depois do café da manhã, ele chegou no hotel, e fomos todos num carro só. Eu que sou o maior e o mais robusto (para não dizer gordo) de todos, tive o privilégio de ir no banco da frente. Todos os outros cinco de alguma forma se acomodaram na parte traseira (banco/mala) do táxi.

No breve percurso até o Paraguai, o taxista foi nos dando algumas dicas. Aconselhou-nos a comprar apenas nas grandes lojas, e citou o nome de algumas. Só lembro o nome de uma: Madrid Center. Ele nos deixou em plena "muvuca" de Ciudad del Este/Paraguai. A cidade é um grande mercado, tanto nas lojas como a céu aberto. Logicamente, com uma grande concentração de pessoas, a atenção com furtos tem de ser em dobro. Não tivemos nenhum problema com relação a isto. Apenas fomos muito abordados por ofertas de vendedores ambulantes e de lojas menores, mas isso é de praxe por lá. Ficamos a maior parte do tempo todos juntos, com exceção de Eurípedes. Como ele é um aficcionado da pescaria, foi em busca de lojas especializadas nesta área. Meu interesse e dos demais era por eletrônicos. No final da manhã, todos nos encontramos na avenida principal, próximo à ponte, alegres com suas compras, e aguardando nosso táxi para retorno ao hotel.


Regresso ao hotel, após as compras
Ligamos para nosso táxi e retornamos ao hotel. Iríamos guardar as compras, almoçar e seguir para as cataratas. Quando chegamos ao hotel tive uma surpresa: meu cunhado Fábio Henrique estava lá, nos aguardando. Ele se mandou de Sampa até Foz numa Yamaha Fazer 250. Cumpriu sua promessa, que eu não levei a sério, de que iria encontrar nosso grupo em Foz do Iguaçu/PR. Ele acompanhou o planejamento da viagem e conhecia  nosso roteiro. Dei um jeito de alocá-lo no mesmo quarto em que eu estava, que passou de duplo para triplo, e fomos de táxi para o almoço e às cataratas. Embora houvesse um integrante a mais no grupo, com a chegada do Fábio, todos podemos ir no mesmo táxi, pois Eurípedes não quis fazer o passeio às cataratas, que ele já conhecia, e já havia almoçado num restaurante seu velho conhecido, lá mesmo em Ciudad del Este/Paraguai.

Se na noite de nossa chegada, este mesmo taxista havia nos levado a uma boa churrascaria, mas de preço decente, desta vez ele nos levou para uma churrascaria de luxo, daquelas de arrancar o couro de pobres turistas motociclistas. Logo na chegada, já desconfiei que a conta seria uma facada, mas como ninguém falou nada, não passei recibo de liso. A comida estava boa, o ambiente era agradável, mas como eu temia, a conta veio salgada. Mais de R$ 100,00 per capita. Essa foi a única vez em toda a viagem que me senti um mané, pagando mais que o devido. Mas isso faz parte da vida de quem é turista, e ter entrado em apenas uma roubada em toda essa viagem até que foi lucro.


Almoço na Churrascaria (antes da conta chegar)
Deixando o custo da almoço para lá, seguimos de táxi até o Parque Nacional do Iguaçu. Tudo muito limpo, bonito e organizado. Compramos nossos bilhetes de acesso e entramos nos ônibus. Infelizmente, por razões orçamentárias (pelo menos no meu caso), ninguém se aventurou a fazer o passeio de barco, até bem próximo às cachoeiras. Resolvemos ficar com a atração básica, que é a visão das cataratas através das passarelas. A natureza mais uma vez nos brindou com sua exuberância e beleza nesta viagem. Mais uma vez refletimos como somos pequenos diante dela. Realmente, nosso Brasil também é riquíssimo em belezas naturais, e o passeio às cataratas é imperdível. Minhas palavras não estão à altura deste espetáculo. Admirem algumas fotos tiradas por nós.





















Terminamos nosso passeio no final da tarde. Seguimos juntos no ônibus até o portão de entrada/saída, menos meu cunhado Fábio, que apartou-se de nós. Ainda esperamos um bom tempo no ponto de embarque dos ônibus, mas acabamos seguindo sem ele. Encontramos com ele na saída, pois ele havia vindo sozinho em outro ônibus. 

Grupo reunido, chamamos nosso táxi para levar-nos ao hotel. Ao chegarmos lá, tivemos uma surpresa com relação ao pagamento dos serviços do taxista. O valor cobrado ficou maior que o informado por Hélio, que havia negociado o pacote. Como não havia participado das negociações, paguei a parte que me cabia, e ou outros acabaram fazendo o mesmo.

O resto dia (noite) seria apenas para dormir (nem lembro se saímos para jantar ou ficamos pelo hotel mesmo), aproveitando para descansar bem. A partir do dia seguinte iríamos parar apenas para dormir, no trajeto de retorno até o Recife/PE.

Mais uma vez, como não saímos com nossas motos, não temos quilometragem a computar neste dia.

Segue abaixo o link do vídeo do nosso passeio às cataratas.


EXPEDICION RUTA DE LOS ANDES 2015 - Parte XVIII - VOLTANDO AO BRASIL (Dia 26)


 


DIA 26 - ASSUNÇÃO/Paraguai a FOZ DE IGUAÇU/PR (28/04/2015)


Acordamos cedo, como de praxe. O percurso do dia não seria longo, mas saindo cedo, chegaríamos cedo, ainda com tempo para fazer algum passeio em Foz de Iguaçu/PR. Tomamos um bom café da manhã, pagamos nossa conta e saímos da POSADA SHALOM às 07:45 h.

Partida da POSADA SHALOM
Encontrar a saída da cidade de Assunção/Paraguai, para pegarmos a estrada em direção a Ciudad del Este/Paraguai, foi mais complicado do que eu havia imaginado. Existem muitas cidades satélites ao redor de Assunção/Paraguai, de forma que rodamos muito tempo em zona urbana, até finalmente chegarmos à Ruta 2, saída para o leste do país. Seguimos por esta estrada e paramos num posto de combustível, após percorrermos 129 km, às 10:20 h. Demoramos pouco tempo, apenas o necessário ao reabastecimento. Saímos em horário não registrado por mim. 

Continuamos pela Ruta 2 por mais alguns quilômetros e após isso ela muda a denominação para Ruta 7, a qual segue até Ciudad del Este/Paraguai. Seguimos direto até esta cidade, parando apenas na fronteira, para fazer a saída do Paraguai e a entrada no Brasil. Adotamos o mesmo procedimento quando da entrada no Paraguai, pois na fronteira com o Brasil, a "muvuca" era ainda maior. Concluída a burocracia, seguimos pela Ponte da Amizade, chegando em Foz de Iguaçu/PR. Uma parte da turma havia passado antes e nos dividimos em 02 grupos. Como existem muitos moto-taxistas por lá, contratei um para nos levar até o hotel reservado por nós, o FOZ BRAZILIAN HOTEL. Logo no início do percurso, encontramos o resto da turma, e todos foram seguindo o moto-taxista. Da fronteira até o hotel era muito perto, mas mesmo assim paguei com satisfação, em guaranis, o moto-taxista. Bem melhor que ficar rodando feito barata tonta atrás do hotel. Chegamos ao hotel às 15:00 h, percorrendo 215 km desde nossa partida do posto de combustível, ainda no Paraguai.

Chegamos ainda muito cedo. Após nos acomodarmos no bom (e barato) hotel, o grupo se dividiu. A maioria seguiu de táxi até Itaipu, para um passeio na usina/represa. Eu e Eurípedes declinamos do passeio, e preferimos ir almoçar. Eu e ele fomos a um supermercado próximo do hotel, onde almoçamos tapioca com suco. Já estava com saudade da culinária brasileira. Eu e Eurípedes voltamos ao hotel, e enquanto os demais conheciam Itaipu, fui tirar uma boa soneca. Itaipu ficou para uma próxima visita a Foz de Iguaçu/PR.

Seguem abaixo algumas das fotos que a turma tirou no passeio a Itaipu.









QUILOMETRAGEM DO DIA:      344 KM.
QUILOMETRAGEM TOTAL:  10.829 KM.