sábado, 23 de dezembro de 2017

VIAGEM A CALDAS DO JORRO/BA (12.11 a 14.11.2016)



Segue o relato de mais uma de nossa viagens. Sei que houve um longo hiato entre a realização da mesma e a publicação deste post, por motivo de minhas outras atividades. Doravante tentarei manter a postagem mais próxima à data de ocorrência das viagens.

Depois da nossa viagem à Serra da Ibiapaba/CE, o segundo semestre de 2016 não poderia passar em branco. Eu fiz um upgrade motociclístico (troquei a velha companheira BMW GS650 Sertão por uma BMW GS800 Adventure), e ansiava por uma Viagem (assim mesmo, com "v" maiúsculo) para testa-la.

Eu (Marcos), Hélio e um colega dele (Bráulio, não pertencente ao Conterrâneos do Asfalto) resolvemos aproveitar o feriado de 15/11/2016, enforcar a segunda-feira (14/11/2016), para visitar o balneário de Caldas do Jorro/BA.

Parti de Recife/PE, no dia 12/11/2016, às 05:57 h, logo após o abastecimento da moto e calibragem dos pneus, rumo à cidade de Pombos/PE, ponto de encontro/partida de nossa viagem. Cheguei antes das 07:00 h, em horário não registrado por mim. Foram 62 km de percurso. Hélio já estava no local. Ficamos aguardando a chegada de Bráulio para iniciar a viagem. Ele não tardou em chegar, de forma que às 07:17 h partimos com destino à nossa primeira parada programada:Garanhuns/PE. Seguimos pela BR 232 até São Caetano/PE, onde pegamos a BR 423, até Garanhuns/PE. Chegamos às 09:18 h, percorrendo 163 km neste trecho inicial.


Parada em Garanhuns/PE

Após uma breve pausa partimos às 09:40 h para o segundo trecho de nossa viagem, com próxima parada programada para Paulo Afonso/BA. Continuamos pela BR 423. O trecho da BR de Garanhuns/PE até a divisa PE/AL apresentava pavimento precário e buracos, alguns de tamanho significativo. Da divisa em diante a pista voltou a ficar em bom estado. Chama a atenção dos viajantes, neste trecho, o grande parque eólico existente na altura de Saloá/PE, alguns quilômetros após Garanhuns/PE. Paramos um pouco antes da divisa AL/BA, num posto da bandeira Federal, no povoado Cordeiro, às 11:43 h, percorrendo 200 km neste segundo trecho. Desta vez, devido ao calor intenso, fizemos uma parada mais demorada, para nossa hidratação. Não abastecemos as motos, pois o posto estava sem combustível...


Parada no posto, povoado Cordeiro, próximo a Paulo Afonso/BA

Partimos às 12:31 h, seguindo em direção a Paulo Afonso/BA, deixando a BR 423 e pegando a BR 110. Seguimos até um grande posto, muito bem estruturado, já próximo da cidade de Jeremoabo/BA. Não marquei a hora nem a quilometragem desse trecho, mas conforme consulta no Google Maps, rodamos mais de 80 quilômetros. Rodar desde de Garanhuns/PE até Jeremoabo/PE, sem reabastecer, seria praticamente impossível, com minha antiga GS 650 Sertão..

Partimos para o trecho final de nossa viagem às 14:19 h. Continuamos na BR 110 até a cidade de Ribeira do Pombal/BA, onde pegamos a BR 110 em direção da cidade de Tucano/BA, município ao qual Caldas do Jorro pertence. Chegamos em Caldas do Jorro já no final da tarde. Nos perdemos, já próximos de lá, pois nosso colega Bráulio, apesar de já conhecer o lugar, de outras viagens, confundiu-se com a estrada que deveríamos pegar, para chegarmos ao nosso destino. Por fim chegamos ao local de nosso pouso, o Caldas Palace Hotel. Percorremos 232 km desde nossa saída do posto Federal, no Povoado Cordeiro, proximidades de Paulo Afonso/BA. Depois disso, um bom banho, um bom jantar, umas cervejas e uma boa noite de sono!

Na manhã seguinte, 13/11/2016, ficamos no hotel. O Caldas Palace possui uma boa área de lazer, com piscinas, quiosques e bares. As instalações são antigas, mas estão em bom estado de conservação. 


Caldas Palace Hotel, área de lazer I
Caldas Palace Hotel, área de lazer II

Caldas do Jorro é uma grande atração turística, possuindo uma boa estrutura de hotéis Por ser um "feriadão", a principal atração da cidade - uma grande bica com águas termais, localizada no meio de uma grande praça da cidade, rodeada por vários bares, estava uma verdadeira muvuca. Embora sejam várias bicas, havia grandes filas para usufrui-las. Apenas passamos pelo local, declinando do banho e seguimos para nosso almoço.




Além das bicas na praça, existe um local chamado Parque das Águas. Fica próximo da praça das bicas. É um local com área de estacionamento para vários ônibus, com piscinas, bares, campos de futebol, bicas ao ar livre e bicas em área fechada, com separação entre homens e mulheres, por razões óbvias. Também não adentramos neste espaço, nos limitando a olhar/fotografar, na volta para nosso hotel.

Somente saimos novamente do hotel, na hora do jantar. Desta vez, logo após nossa refeição, o corajoso Hélio resolveu experimentar o tão afamado banho termal de Caldas do Jorro. Por ser à noite, a fila para o banho estava menos concorrida. Eu registrei este momento, num vídeo que está inserido no álbum de fotos desta viagem (vide link no fim do post).

A idéia inicial era voltarmos apenas no dia 15/11, mas como achamos que já tínhamos conhecido tudo, resolvemos antecipar nossa volta para o dia 14/11. Dessa vez fizemos a volta pelo mesmo percurso da ida. 

Partimos logo após nosso café da manhã, às 06:57 h. Fizemos inicialmente um trecho inicial bem mais longo, parando apenas no posto Maria Bode, BR 423, na entrada para Delmiro Gouveia/AL, às 09:32 h, percorrendo 238 km. Saímos às 10:05 h, seguindo até a Lajedo/PE, onde chegamos às 12:30 h, percorrendo 211 km. Após essa segunda parada, seguimos por mais 07 km, parando num restaurante à beira da BR 423, chamado Chalé do Bode, para o almoço. Saímos para o trecho final após o almoço, aproximadamente ás 14:15 h. Seguimos juntos até perto de Gravatá/PE, onde Hélio e Bráulio pararam para fazer compras de carnes de caprinos/ovinos, conforme já havíamos combinado no intervalo do almoço. Eu prossegui sozinho até Recife/PE. Passei defronte ao Posto Ipiranga, em Santo Aleixo, BR 232 (ponto de partida tradicional, para boa parte de nossas viagens) às 16:08 h, com o hodômetro registrando 165 km percorridos. Resolvi considerar ali o ponto final de nossa viagem, embora não tenha parado, seguindo direto até minha casa.

Foram 1.209 km de estradas, na companhia de meus dois valorosos companheiros, conhecendo um pouco mais deste nosso Nordeste, com a graça de voltarmos sãos e salvos.

Segue abaixo o link para o álbum de fotos/vídeo de nossa viagem.


domingo, 2 de abril de 2017

VIAGEM À SERRA DA IBIAPIABA/CE (20/04 a 25/04/2016) Parte III - A VOLTA




Olá prezados leitores. Finalmente venho aqui concluir nossa jornada pelo sertão nordestino.  
  
Como procuramos fazer, sempre que possível, um caminho diferente na ida e na volta de nossas viagens, eu e Pedro decidimos voltar pelo interior, atravessando o sertão do CE, um pedacinho do RN, o sertão/agreste/mata da PB e o litoral de João Pessoa/PB a Recife/PE. Fizemos esse trajeto em 02 dias: 24/04 e 25/04/2016. Infelizmente, por culpa deste que lhes escreve, foram escassos os registros fotográficos.

Como já foi dito, iniciamos o retorno para nossas casas no dia 24/04/2016. Saímos de Viçosa do Ceará/CE além do horário programado, às 08:35 h, efetuando apenas uma pequena parada em Tianguá/CE, para reabastecimento das motos. Seguimos praticamente sem paradas (exceto aquelas para solicitação de informações/confirmação de rota), percorrendo a BR 222 até a cidade de Forquilha/CE, onde pegamos a CE 362 e depois a CE 257, até Canindé/CE. Chegamos às 11:54 h, percorrendo 282 km nesta primeira perna da viagem. Paramos o tempo necessário para o reabastecimento das motos e dos pilotos.



Partimos de Canindé/CE às 12:35 h. Nossa próxima parada prevista era a cidade de Banabuiu/CE. Seguimos desta feita, inicialmente pela BR 020, pegando depois a CE 456 até Quixadá/CE. De lá seguimos pela BR 122 até Banabuiu/CE, onde chegamos às 14:37 h, percorrendo 165 km nesta segunda etapa. Novamente efetuamos uma parada para reabastecimento de todos, motos e pilotos.


Partimos de Banabuiu/CE às 15:00 h, para concluir o trecho final previsto para o 1º dia de nossa  volta, tendo como destino final Pau dos Ferros/RN. Até então, não teci nenhum comentário acerca das estradas que percorremos. Apesar de rodarmos  em estradas interioranas, boa parte delas estaduais, elas estavam num estado de regular a bom. A exceção ficou justamente para a parte final deste último trecho da viagem. Continuamos pela BR 122, pegando a BR 226 logo depois de Solonópole/CE, seguindo por ela até Pau dos Ferros/RN. Essa BR compartilha um trecho com  BR 116, a partir de Jaguaribe/CE, retomando seu curso próprio alguns Kms adiante, em direção ao RN. Nesse trecho a estrada estava em condições precárias, e boa parte do trecho era em terreno de serra, com muitas curvas e buracos. Para completar, acabamos passando por São Miguel/RN, para depois seguirmos para Pau dos Ferros/RN. Isso alongou nosso trajeto, pois havia traçado o roteiro seguindo de Pereiro/CE para Ererê/CE, e de lá para Pau dos Ferros/RN. Embora isso tenha nos custado alguns kms a mais, acabou sendo positivo, pois somente depois fiquei sabendo que o roteiro planejado antes, tinha o trecho final (Ererê/CE a Pau dos Ferros/RN) em estrada não asfaltada. Chegamos em pau dos Ferros/RN por volta das 18:00 h, já escurecendo, percorrendo 230 km. Percebi que estava com o farol baixo de minha moto queimado. Conseguimos pouso no excelente Hertz Center Hotel, e após um bom jantar, tivemos uma noite de sono restauradora.

Percorremos ao todo 677 kms neste primeiro dia deste retorno.

Na manhã seguinte, 25/04/2016, partimos de Pau dos Ferros/RN, logo após nosso café da manhã, às 08:20 h. Por sugestão de Pedro, alterei a parte inicial de nesse percurso nesse dia. Ele verificou que o trajeto até Patos/PB seria menor se entrássemos logo na PB, ao invés de continuarmos pelo RN até Caicó/RN, chegando á BR 230 pela cidade de Santa Luzia/PB. O fato é que acabamos nos perdendo, pois rodamos por rodovias estaduais do RN e PB, com  sinalização precária, e calculo que tenhamos rodado uns 40 km a mais. Resumindo, acabamos rodando quase a mesma coisa que o caminho mais longo, e já conhecido por mim...Mas afinal alcançamos a BR 230, pouco antes da cidade de Pombal/PB. Continuamos até Patos/PB, objetivo de nosso primeiro trecho do dia. Chegamos às 11:19 h, percorrendo 223 km. Efetuamos os procedimentos rotineiros em cada parada (abastecimento, banheiros, etc).



Partimos às 11:53 h, continuando pela excelente BR 230 (padrão corriqueiro na maioria das estradas paraibanas), com próxima parada prevista em Campina Grande/PB. Chegamos às 13:42, percorrendo 172 km neste trecho.

Fizemos um stop super rápido, e às 14:09 h partimos para o trecho final da viagem, com destino a João Pessoa/PB para Pedro e Recife/PE para mim. Fizemos nossas despedidas lá mesmo no posto em Campina Grande/PB, pois seguiríamos direto até nossas casas. Seguimos juntos por 142 km, quando nos separamos, já em João Pessoa/PB, na BR 101. Continuei pela BR 101 até minha casa, onde cheguei ás 17:10 h, percorrendo 255 km neste último trecho.

Percurso final deste segundo (e último) dia da viagem de volta, até Recife/PE = 650 kms.

Resumo final da viagem: 06 dias de duração (02 dias de viagem de ida, 02 dias de estadia e 02 dias da viagem de volta) e 2.522 kms percorridos. Segue abaixo o link para o acesso ao álbum completo da viagem e o depoimento de Pedro Henrique, sobre a viagem.

Concluímos assim mais uma magnífica viagem, com a graça de voltarmos felizes e saudáveis para nossas famílias. Que maravilha poder viajar de moto! Se você experimentar, não vai largar. 




domingo, 5 de fevereiro de 2017

VIAGEM À SERRA DA IBIAPIABA/CE (20/04 a 25/04/2016) Parte II - A ESTADIA





Ficamos muito bem acomodados na bela casa dos pais de Pedro Henrique. Como eles não estavam por lá, tínhamos a casa toda à nossa disposição.

Após dois dias de estrada, nosso planejamento era ficarmos 02 dias na região, explorando os atrativos turísticos e visitando alguns parentes. Tanto Pedro Henrique como eu temos parentes por lá. Como teríamos 02 dias, o primeiro dia seria destinado aos passeios pelos atrativos turísticos e o outro para a visita aos parentes.

Ao acordarmos na manhã do dia seguinte, 22/04/2016, fomos bridados com um fenômeno climático comum na região: um nevoeiro muito espesso, daqueles que os velhos marujos dizem que podem ser cortados à faca. A visibilidade não ia além de poucos metros e a temperatura também havia baixado bastante. Um certo ar "europeu" no interior do Ceará.


Como o dia foi avançando hora a hora, e as condições climáticas não se alteraram, nossos planos de passeios turísticos foram por água abaixo. Deixamos as motos na garagem e passeamos a pé pela cidade.


Aproveitamos o passeio e tomamos o café da manhã numa padaria de primeiro nível, que não fica nada a dever às que existem nas grandes capitais do país, a Pão da Vida. O cardápio variado, o bom atendimento e o sabor da comida nos cativaram. Voltamos mais tarde, com o clima ainda fechado, para almoçar nesse mesmo estabelecimento.

No fim da tarde, Márcio, primo de Pedro Henrique que já havia nos recepcionado no dia anterior, passou de carro para no pegar, e dar uma volta maior pela cidade. Entre os locais visitados, paramos na Casa dos Licores. É um local muito visitado, pela variedade de licores que a família produz. Eu a havia visitado 20 anos antes, quando o patriarca da família ainda estava vivo. Os negócios estão sendo tocados pelas filhas dele, uma das quais nos recebeu muito hospitaleira. Após algumas provas nos diversos tipos de licores, acabei comprando 03 garrafas para levar para casa.


Terminamos a noite na Padaria e Confeitaria Pão da Vida, jantando, e logo após assistindo um belíssimo show de música e fonte luminosa, na praça logo em frente. Um belo espetáculo. Merece os parabéns a prefeitura municipal, pelo zelo e cuidado com turismo na cidade.


No dia seguinte, 23/04/2016,  o tempo abriu novamente. Podíamos cumprir o planejado para o 2º dia, visitar nossos parentes. Após o café da manhã, seguimos cada um para um lado. Pedro Henrique foi para um povoado próximo a Viçosa do Ceará/CE e eu segui em direção a Ubajara/CE, cidade da famosa gruta e seu teleférico, mas meu destino era o sítio Moitinga, lugar de moradia de meu tio Vicente e sua família.

A Serra da Ibiapaba possui 05 municípios, todos próximos um dos outros. Viçosa do Ceará/CE fica ao norte da BR 222 e todos os demais ficam ao sul da referida BR (Tianguá, Ubajara, Ibiapina e São Benedito).

Munido de instruções que me foram repassadas por minha prima Vitória (que eu nem conhecia pessoalmente ainda), segui até Ubajara/CE. Lá contratei um moto-taxista, para levar-me até o sítio Moitinga. Graças a ele cheguei à casa do meu tio. Sozinho eu não conseguiria. Passei o dia com meus parentes, com muita prosa e almocei com eles. Meu tio sempre foi uma pessoa de boa conversa, de muitas históricas para contar. Voltei à Viçosa do Ceará/CE à tarde.


Mais tarde tivemos uma jantar de despedida da cidade, e fomos dormir cedo. No dia seguinte iniciaríamos 02 dias de estrada pela frente, em caminho diferente do da nossa ida, atravessando o interior cearense, potiguar e paraibano.