sábado, 5 de setembro de 2015

EXPEDICION RUTA DE LOS ANDES 2015 - Parte XI - ENFIM O CHILE (Dia 18)



DIA 18 - TACNA/Peru a IQUIQUE/Peru (20/04/2015)

Acordamos no dia seguinte, não muito cedo. Tínhamos um trecho curto neste dia, pois iríamos até Iquique/Chile. Um "passeio", comparado com outros percursos que já havíamos feito.

Primeira surpresa: a diária na HOSPEDAJE YOLANDA não incluía o café da manhã. Neste caso restou a nós arrumar nossas tralhas nas motos e partir rumo à fronteira, já que a diária havia sido paga no check in, na noite anterior. Saímos de lá às 08:01 h. Paramos para abastecer num posto, na saída de Tacna/Peru.


Abastecimento em TACNA/Peru
Retomamos nossa viagem às 08:34 h. Seguimos pela rodovia 1S e chegamos ao Complejo Fronterizo Santa Rosa às 09:50 h, percorrendo 32 km neste trecho. Trata-se de um conjunto de prédios modernos, passando uma imagem de organização e eficiência. Sem dúvida foi a fronteira mais organizada que encontramos em nossa viagem. Antes dos trâmites imigratórios e aduaneiros, fomos a uma lanchonete tomar nosso café da manhã.


Chegada na fronteira Peru/Chile


















Café da manhã na fronteira















Logo após nosso café, seguimos para os procedimentos na imigração e aduana peruanas. Tudo rápido e sem problemas. Seguimos adiante e logo chegamos na imigração/aduana chilenas. Aqui, pela primeira vez, nos passaram um pente fino. Tivemos de retirar todas as bagagens e passa-las numa máquina de raio X. Primeira vez e única, pois nas fronteiras seguintes, nunca mais olharam nossas bagagens. Por conta disso, nosso trâmite no lado chileno foi muito mais lento. Terminado todo o processo, retomamos nossa viagem, saindo de lá às 10:58 h.


Entrando no Chile I


Entrando no Chile II

Seguimos pela ruta 5, já pelo Chile, em direção de Arica/Chile, nossa próxima parada para reabastecimento e câmbio para a moeda local, peso chileno. Percorremos 27 km desde nossa saída da fronteira. Não registrei nosso horário de chegada.

Saímos do posto às 12:10 h. No trânsito para chegarmos até a saída para Iquique/Chile, acabei separando-me do restante do grupo, e me perdendo dos outros. Após usar e abusar de meu "portunhol", consegui encontrar a saída para Iquique/Chile. Meus companheiros me esperavam à beira da pista. Reiniciamos efetivamente nossa viagem às 12:35 h, seguindo ainda pela ruta 5.

Finalmente estávamos no Deserto do Atacama. A ruta 5 rasga o Chile de norte a sul, atravessando o deserto, na porção setentrional do país. Por quilômetros e quilômetros temos apenas o asfalto (em excelentes condições), areia e pedras a perder de vista. Eventualmente temos alguns oásis, nos baixios dos vales existentes pelo caminho. Toda esta paisagem, aparentemente sem atrativos, nos atraiu de forma inexplicável. Foram muitas paradas para fotografarmos a paisagem do deserto. Alguns destes registros fotográficos e filmográficos estão logo a seguir.

video





Ao longo de todo o trajeto Arica/Iquique, não existem muitas povoações ou locais para abastecimento. A região é desértica e pouco povoada. Uma grande preocupação para a autonomia de nossas motos, especialmente a minha BMW Sertão. A preocupação com uma pane seca, em pleno Atacama, nos fez deixar de visitar um importante ponto turístico, que fica no caminho para Iquique/Chile: as salitreras de Humberstone e Santa Laura. Tinha visto em minhas pesquisas prévias que ambas foram grandes complexos de mineração de salitre, que hoje se encontram fechadas, constituindo-se em verdadeiras cidades fantasmas. Hoje elas são considerados monumentos históricos, reconhecidos até mesmo pela UNESCO.

Seguimos sem paradas para reabastecimento (apenas para fotos) de Arica até a cidade de Alto Hospício/Chile, que fica já nas cercanias de Iquique/Chile. Fui o primeiro a chegar por lá, parando no primeiro posto que encontrei (posto COPEC). Lauro chegou logo em seguida. Eram 17:08 h e percorremos 318 km. Eu e Lauro rodamos uns bons quilômetros com a luz da reserva a nos incomodar. Aos poucos os demais companheiros de viagem foram chegando. Após reabastecermos saímos para o trecho final, sem registro do horário de partida.

Continuamos pela Ruta 16, a qual pegamos a partir das salitreras Humberstone e Santa Laura, em direção a Iquique/Chile. Confesso que nesta parte final eu fui um completo relapso, e não anotei a quilometragem deste trecho final, nem nosso horário de chegada ao hotel. Verifiquei pelo Google Maps que a distância da cidade de Alto Hospício/Chile até nosso hotel em Iquique/Chile é de aproximadamente 11 km. Um destaque neste curto trecho final, foi a bela paisagem na  chegada a Iquique/Chile. A parte final é uma longa descida, e a cidade mostrava-se a nós logo abaixo, com suas luzes hipnotizantes, em contrate com a negritude das águas do Pacífico. Sim, foi à noite que avistamos pela primeira vez este oceano, tão distante de nós.

Rodamos um pouco até acharmos nosso hotel, graças ao GPS do Helenildo e a algumas consultas aos locais. Embora não tenha registrado o horário exato de nossa chegada ao HOTEL BARROS ARANA, lembro-me que ainda não eram 19:00 h. No check in fomos logo indagando sobre o horário de funcionamento da ZOFRI (Zona Franca de Iquique) e nos informaram que ela já estaria fechando, pois já estávamos próximo das 21:00 h (????). Viajando e aprendendo. Ficamos sabendo que, ao contrário do Peru, cujo horário é duas horas menor que o horário de Brasília/Brasil, o Chile adotou o mesmo horário de Brasília/Brasil. Sendo assim, perdemos a chance de visitar esta que é alardeada como a melhor e maior zona franca da América do Sul.

Restou a nós nos acomodarmos no hotel e jantar por lá mesmo. Durante o jantar tivermos um debate que quase causou uma cisão no grupo. Eu sugeri excluirmos a ida até a "Mão do Deserto", famoso monumento que fica ao sul de Antofagasta/Chile, pois embora isso estivesse planejado, temia que implicasse em realizarmos o trecho final, que imaginava com muitas curvas fechadas e abismos, até San Pedro de Atacama/Chile, já tarde da noite. Minha sugestão e de Lauro, seria seguirmos de Tocopilla/Chile direto para San Pedro de Atacama/Chile, encurtando substancialmente o percurso. Depois de muita discussão, decidimos manter o planejamento original. Para isso combinamos de sair bem cedo, antes do café da manhã do hotel. Afinal de contas teríamos pela frente o trecho com maior quilometragem de toda nossa viagem.

Serenados os ânimos, terminamos nosso jantar e fomos dormir.


QUILOMETRAGEM DO DIA:    388 KM.
QUILOMETRAGEM TOTAL:  7.779 KM.

Seguem abaixo os links para os vídeos deste trecho, postados no You Tube:

Um comentário: